Musicoterapia

Conversas-musicoterapêuticas

Quais são as músicas que mais se adequam ao teu estado de alma? Na musicoterapia, o Dr. Hélio Morais, o Dr. Noiserv e o Dr. Samuel Úria vão passar receitas sonoras a todos aqueles que se sentarem e com eles partilharem o que lhes vai na alma.

Com Hélio Morais, Noiserv e Samuel Úria

Entrada livre por ordem de chegada, não requer bilhete. Cada consulta tem a duração aproximada de 15 a 25 minutos. Coleções permanentes e exposição Pose e Variações. Escultura e Paris no Tempo de Rodin com horários especiais.


Nasceu e vive em Lisboa, apesar de ter crescido nos subúrbios da cidade. Aprendeu a tocar bateria numa igreja protestante, longe de imaginar que um dia se tornaria músico. A fé mudou de direção mas focou-se em perseguir o sonho de trabalhar em algo de que se orgulhasse, que lhe desse prazer e realizasse. Estudou Engenharia Electrotécnica para agradar ao pai, mas nunca exerceu. Hoje é músico nos Linda Martini e nos PAUS e gere, ainda, o agenciamento do HAUS, onde trata da agenda de concertos de bandas como Capitão Fausto ou os próprios PAUS.

Noiserv é o criativo projeto do músico David Santos, criado em 2005. Há quem lhe chame "o homem-orquestra" ou "banda de um homem só" e a verdade é que quem se cruza com as suas canções é imediatamente convidado a embarcar numa aventura sonora que promete ser mágica. Lançou “One Hundred miles from thoughtlessness”, em 2008, o EP “A day in the day of the days” em 2010 e o galardoado “Almost Visible Orchestra” que, no início de 2014 foi distinguido como melhor disco de 2013 pela SPA, Sociedade Portuguesa de Autores. Ainda em 2014 edita o seu primeiro registo ao vivo, “Everything should be perfect even if no one's there”. Já pisou centenas de vezes o palco em Portugal e mundo fora e tem ainda trabalhado numa série de colaborações para teatro ou cinema. Em 2016, está oficialmente além-fronteiras, com uma reedição do álbum "Almost Visible Orchestra" para todo o mundo através da editora francesa Naive. Lança ainda o álbum 00:00:00:00, segundo o próprio "a banda sonora para um filme que ainda não existe, mas que talvez um dia venha a existir”, um piano tocado a várias mãos e uma voz que embala com histórias em português. Em 2018, compôs uma música original para a nova imagem da RTP1.

Nascido no decote da nação, entre o Caramulo e a Estrela, Úria leva para os palcos o blues do Delta do Dão. De lenda rural para lenda urbana, tudo está certo: meio homem meio gospel, mãos de fado e pés de rock’n’roll.
Desde 2008 que Samuel Úria tem ganho notoriedade, altura em que entre edições caseiras e concertos, se deixava acompanhar apenas pela sua guitarra acústica. “O Caminho Ferroviário Estreito” foi o seu primeiro registo mas só “Em Bruto”, lançado em 2008, se revelou ao público. Em 2009 lança “Nem Lhe Tocava”, ano em que também escreveu e gravou, num só dia, um disco inteiro em sua casa. O resultado foi "A Descondecoração de Samuel Úria", disco lançado um ano depois.
Em 2013, deita cá para fora “O Grande Medo do Pequeno Mundo", com participações especiais de músicos como Manel Cruz, Márcia, António Zambujo ou Miguel Araújo. Em 2016, lança o aclamado disco “Carga de Ombro”, onde volta a contar com participações especiais de músicos nacionais como Selma Uamusse, Francisca Cortesão, Martim e David Fonseca.

Próximas sessões

Sobre a atividade:

Duração: 25 minutos

Mínimo de participantes: 1

Máximo de participantes: 12

Língua: Português

Onde:

Ponto de encontro: Museu Calouste Gulbenkian - Coleção Moderna

Abrir Google Maps

Detalhes da atividade:

Época:

Ciclo:

Tipo: