IGC recebe bolsa EMBO

Hannah Heil

Hannah Heil, alemã, desenvolve microscópios e é apaixonada por biologia. Chegou ao IGC, em janeiro de 2021, para integrar a equipa liderada por Ricardo Henriques, no laboratório de Óptica e Biologia Celular, e acaba de receber uma bolsa de longa duração da EMBO. Esta bolsa vai permitir “trabalhar na descodificação do papel das diferentes vias de entrada do vírus, no êxito da infeção pelo HIV, através de microscopia de super-resolução automatizada e inteligente”.

Com formação em biofísica e em desenvolvimento de microscopia, para Hannah “tornar-se parte da família EMBO é uma grande oportunidade para entrar em contato com uma rede diversificada de biólogos e aprender onde posso contribuir para a sua ciência com o meu conjunto especial de conhecimentos.”

Hannah é especialmente fascinada pelas interações patógeno-hospedeiro e como os patógenos, como o HIV, sequestram os mecanismos celulares para entrar e se replicar. A bolsa de 2 anos vai permitir-lhe “estabelecer microscopia de super-resolução automatizada e inteligente para estudar as interações do patógeno-hospedeiro.”

As bolsas EMBO financiam investigadores extraordinários em pós-doutoramento para realizar investigação básica em ciências da vida em laboratórios em toda a Europa e em todo o mundo por um período de até dois anos. O intercâmbio internacional é um requisito fundamental para as bolsas de pós-doutoramento da EMBO, que também apoiam o desenvolvimento da carreira dos bolseiros através de cursos de liderança e oportunidades de networking. Desde 2015, a taxa de sucesso para as bolsas de pós-doutoramento da EMBO, no IGC, tem sido de cerca de 15%.