Padronização e morfogénese

Moises Mallo

Os vertebrados, apesar de apresentarem uma grande variedade de formas e dimensões corporais, desenvolvem-se de acordo com o mesmo padrão básico: produzem progressivamente as unidades modulares, cabeça, tronco e cauda, como resultado da atividade de um grupo de células denominadas coletivamente por progenitores axiais.

O primeiro nível de informação de padronização a que os progenitores são expostos, resulta na definição das diferentes áreas globais do corpo, ou seja, define-se se vão originar células correspondendo às regiões da cabeça, do tronco ou da cauda.

O segundo nível de informação de padronização é então responsável por definir o tipo de tecidos específicos a ser produzido pelos progenitores, em cada uma das regiões globais, o que eventualmente resultará na construção de um organismo funcional.

Ainda que a formação do corpo seja um processo contínuo, o desenvolvimento de cada uma das regiões da cabeça, tronco e cauda é controlado por redes genéticas distintas. São essencialmente variações na utilização das diferentes redes genéticas, as principais responsáveis pela vasta diversidade de padrões corporais observada ao longo da filogenia dos vertebrados.

O trabalho realizado neste grupo de investigação foca-se na compreensão destas redes genéticas que controlam a formação das diferentes áreas globais do corpo, assim como dos mecanismos que regulam as transições dos modos de desenvolvimento da cabeça para o tronco e do tronco para cauda.

O principal modelo animal que utilizam no laboratório é o murganho e combinam abordagens de edição genética e de transgénicos, com análises ao nível do genoma e técnicas avançadas de aquisição de imagem.

Recentemente começaram a utilizar outros modelos animais na investigação, tais como cobras e lagartos. O estudo destes modelos animais deverá contribuir para uma melhor compreensão do modo como os vertebrados evoluíram de forma a apresentarem a ampla variedade de arquiteturas corporais que hoje lhes conhecemos.

 

Projetos de Investigação 

O controlo dos progenitores axiais de vertebrados

O corpo dos vertebrados é formado progressivamente da cabeça para a cauda, pela adição de novos tecidos na região posterior do embrião.

Este processo, resulta da atividade de progenitores, com propriedades estaminais, que podem ser classificados em grupos distintos de acordo com os tecidos a que vão dar origem.

Saiba mais

 

Publicações

 

Notícias

Moises Mallo, Investigador Principal

PhD in Biochemistry and Molecular Biology, University of Santiago de Compostela, Spain

ORCID

Pubmed

Telefone: +351 214 464 624

E-mail: [email protected]