Evolução do vírus

Neste momento há três variantes a circular no mundo que necessitam de vigilância epidemiológica (em que local se encontram e com que frequência) e genómica (que mutações têm e que tipo de alterações podem causar).

 

Esta fotografia (de 2 de fevereiro de 2021) apresenta as mutações que cada uma das variantes do vírus apresenta (amostra de 190 virus em circulação na zona de Lisboa). 

Legenda: 

  • pontos azuis: mutações do vírus que não levantam preocupações 
  • pontos amarelos: mutações observadas na variante V1 descoberta inicialmente no UK
  • pontos laranja: mutações observadas na variante V2 descoberta inicialmente na África do Sul

 

Conclusões dos dados analisados

Numero de vírus sequenciados: 190

Amostras: de dezembro de 2020

Resultados: Em Lisboa, foram detetados vírus da variante V1, descoberta pela primeira vez no UK em 9% dos vírus sequenciados, e 0.5% da variante V2, primeiro descoberta na Africa do Sul.

 

Só conseguimos ter vantagem neste jogo de póquer do virus, e parar as mutações, se pararmos a transmissão.

 


Parceiros 

             

Atualização em 19 fevereiro 2021

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.