Edições anteriores

1ªEdição 2019

As Bolsas António Coutinho foram atribuídas pela primeira vez em 2019 a Adija Fernando Wilssone (MSc) e António Pinto Almeida (PhD).

 

 

Nascida em 1991 e de nacionalidade moçambicana, Adija realizou o trabalho de MSc em Biologia da Conservação, no Parque Nacional da Gorongosa, no âmbito do Consórcio de Bioeducação (que envolve uma parceria entre o Parque Nacional da Gorongosa, o Instituto Superior Politécnico de Manica, a Universidade Lurio, a Universidade Zambeze e a Universidade de Lisboa). O seu projeto de investigação combina interesse na conservação da biodiversidade, com a utilização sustentável de recursos naturais locais. Propôs-se a passar o período da bolsa António Coutinho no laboratório da Dr. Cristina Máguas Hansson no Centro de investigação em Ecologia, Evolução e Alterações ambientais da Universidade de Lisboa, para levar a cabo uma análise química (com espectrofotometria) e morfológica (com microscopia eletrónica de varrimento) do pólen que faz parte no mel produzido no Parque Nacional da Gorongosa. Esse trabalho permitirá não só uma valorização do mel local, como informará sobre as zonas do parque onde estão as flores de onde vem esse pólen e que devem ser protegidas.

 

 

 

Docente na antiga Faculdade de Engenharia e Ciências do Mar da Universidade de Cabo Verde, atual Instituto de Engenharia e Ciências do Mar da Universidade Técnica do Atlântico[AP1] , nascido em 1984 e de nacionalidade cabo-verdiana, licenciou-se em Ciências Biológicas na Universidade de Cabo Verde. Posteriormente concluiu uma pós-graduação e Mestrado em Parasitologia Médica no Instituto de Higiene e Medicina Tropical (IHMT; Lisboa) e o Doutoramento em Biologia Básica e Aplicada (programa GABBA) pela Universidade do Porto. É Professor Auxiliar da Unidade de Ciências Biológicas do Instituto de Engenharia e Ciências do Mar da Universidade Técnica do Atlântico, na ilha de São Vicente, Cabo Verde, onde está o Centro Oceanográfico do Mindelo (co-financiado pelo governo alemão, através do Instituto Geomar de Kiel) e onde foi criada a mais nova universidade pública de Cabo Verde - Universidade Técnica do Atlântico com foco em questões do Mar. São estas oportunidades e planos locais de promoção da “economia azul” que estimularam o António a desenvolver e aprofundar competências na Biologia de Mares. Neste contexto, está envolvido em vários projetos de colaboração internacionais mas pretende poder ser ele próprio o coordenador de projetos de investigação com base na sua instituição. A bolsa António Coutinho permitiu-lhe desenvolver o seu trabalho no laboratório Blue Biotechnology & Biomedicine da Dr. Susana Gaudêncio (Ucibio-Requimte, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade NOVA de Lisboa).

 

 


Parceiros

Câmara Municipal de Oeiras          Merck

Atualização em 15 novembro 2021

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.