• 1919
  • Cartão
  • Óleo
  • Inv. 80P53

Cristiano Cruz

S/título (Senhoras à mesa)

S/ Título (Senhoras à mesa), datável de 1919, é o mais conhecido dos quadros de pequeno formato que dominam o período final de Cristiano Cruz. Sobrepondo-se ao desenho, esta pintura resulta da aplicação direta de uma pincelada vigorosa no suporte, a técnica expressionista que importa de França depois de voltar da guerra. Criando um contraste entre tonalidades frias e escuras – azuis, cinzentos, ou brancos sujos – e o vermelho quente dos lábios e maquilhagens, apresenta a combinação da sedutora e cruel vida mundana (tema incomum nas suas obras). A representação de duas mulheres à mesa não se presta a uma passiva contemplação da vida burguesa, mas antes ao culto trágico dos sentidos: pela qualidade táctil desta imagem, desde a gestualidade brutalista do artista, aos olhares devolvidos ao observador ou para uma ação que decorre fora do quadro, simulando uma pistola com os dedos, ao consumo do álcool e à maquilhagem esborratada de duas figuras esquálidas, desassossegadas.

 

Como se as antigas caricaturas de Cristiano se enchessem de carne, presença, dor e experiência, esta figuração tensa, e trinchada com excessiva materialidade que lembra o trabalho de Oskar Kokoschka ou Egon Schiele de então, é assombrada pela destruição e o hedonismo do pós-guerra. Uma visão apocalíptica do mundo que não conhece igual na pintura modernista em Portugal dos anos 1910, e associada a uma linguagem plástica por sua vez também radicalizada, na intenção antidecorativa e antinaturalista com que se articulam os ângulos e arestas nas flûtes, feições ossudas, quase-cadavéricas das duas figuras ou da mesa tombada, organizadas em campos de cor delineados, e chegando, como no caso das saias brancas, a limites de abstração.

 

 

Afonso Ramos

Março 2013

 

 

* Ver Christiano Cruz (1892-1951), Retrospectiva, Museu Rafael Bordalo Pinheiro, 1993, p. 55. 

TipoValorUnidadesParte
Altura28,5cm
Largura26cm
Tipo assinatura
TextoCh. Cruz
TipoAquisição
DataSetembro de 1980
Heimo Zobernig e a Colecção do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian/ Heimo Zobernig and the Collection of the Calouste Gulbenkian Foundation Modern Art Centre; Heimo Zobernig and the Tate Colllection/ Heimo Zobernig e a Colecção da Tate
Lisboa/ St. Ives, 2009
ISBN:978-1-85437-826-2
Catálogo de exposição
Inauguração do CAM
CAM/FCG
Curadoria: A definir
20 de Julho de 1983
Lisboa, Centro de Arte Moderna/ FCG
20 de Julho 1983.
Heimo Zobernig e a Colecção do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian
CAM/FCG
Curadoria: Jürgen Bock
11 de Fevereiro de 2009 a 31 de Agosto
Centro de Arte Moderna
Exposição realizada em parceria com a Tate St. Ives. Inclui obras da colecção da Tate de St. Ives, do Centro de Arte Moderna e do artista Heimo Zobernig. De 24 de Maio a 31 de Agosto de 2009 estiveram expostas apenas as obras do CAM escolhidas pelo artista.
Exposição Permanente do CAM
CAM/FCG
Curadoria: Jorge Molder
18 de Julho de 2008 a 4 de Janeiro de 2009
Centro de Arte Moderna
Exposição Permanente entre 18 de Julho de 2008 a 4 de Janeiro de 2009.
Atualização em 23 janeiro 2015

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.