• 1963
  • Tela
  • Óleo
  • Inv. PE216

David Hockney

Renaissance Head

Regressado de uma viagem marcante à América, e no ano em que conhece Andy Warhol, David Hockney apresenta Renaissance Head (Cabeça Renascentista), uma subversão imaginativa da iconografia renascentista, com o perfil sob um arco e a paisagem em profundidade pontuada por ciprestes toscanos. Uma evocação artificial e algo sardónica dos retratos executados quatro séculos antes por Piero della Francesca, importantíssimo teórico da perspectiva linear, cujas pinturas de grande rigor e minudência obedeciam a estruturas complexas da matemática e  geometria. Hockney recupera a silhueta, mas reagindo ao contexto que a gerou, justificando assim: «era muito bem capaz de desenhar figuras num estilo académico, mas não era o que eu queria fazer na pintura e por isso tive de regressar a algo (…) num estilo oposto, um estilo cru, porque eu gostava da parecença com a arte infantil, que por sua vez se assemelha à arte egípcia, onde tudo é igual.»* Se o discurso lembra o de Henri Matisse, quarenta anos antes, o parentesco confirma-se no aspecto inacabado e negligente da execução, na partilha da mesma exuberância cromática e da repulsa por informação supérflua, e ao substituir a perspectiva por um plano unidimensional onde tudo coexiste, de igual para igual.

A pintura de que della Francesca se tornou símbolo, como exercício científico a partir do desenho, era em tudo contrária ao que o artista inglês pretendia. Adoptou, por isso, o caminho inverso, ao renegar o desenho e exacerbar o colorido, trocando o sistema de elevadas convenções intelectuais por uma apresentação ingénua e infantil, mais apta para chegar ao público moderno e massificado da metrópole. Se outros compunham a partir de maços de tabaco e latas de conserva, Hockney preferiu enfrentar um dos pintores mais sofisticados da tradição ocidental, e um dos seus formatos mais convencionais, o retrato. Uma audaciosa releitura da cabeça renascentista, que deu um novo ícone iconoclasta à Swinging London.**

Afonso Ramos

Maio de 2010

 

* In Metamorphosis: British Art of the Sixties: Works from the Collections of the British Council and the Calouste Gulbenkian Foundation, Torino, Umberto Allemandi & Co., 2005, p. 65.

** Swinging London é uma expressão usada para descrever Londres durante a segunda metade dos anos 60, devido ao ambiente de euforia cultural vivida com a recuperação económica e moral do país após a Segunda Guerra Mundial.

TipoValorUnidadesParte
Altura123,5cmcom moldura
Profundidade3,5cmcom moldura
Largura124cmcom moldura
Altura122cmtela
Largura122cmtela
Tipo título
TextoRenaissance head
Posiçãoverso, trave superior
Tipo assinatura
TextoDavid Hockney
Posiçãoverso, trave superior, a seguir à data
Tipo data
Texto1963
Posiçãoverso, trave superior, a seguir à data
TipoAquisição
DataSetembro de 1970
Pop Art: 1956-1968
Milão, Silvana Editoriale, 2007
Catálogo de exposição
Heimo Zobernig e a Colecção do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian/ Heimo Zobernig and the Collection of the Calouste Gulbenkian Foundation Modern Art Centre; Heimo Zobernig and the Tate Colllection/ Heimo Zobernig e a Colecção da Tate
Lisboa/ St. Ives, 2009
ISBN:978-1-85437-826-2
Catálogo de exposição
TipoEtiqueta autocolante
TextoBiennale de Paris - Grand Bretagne
Posiçãoverso
TipoEtiqueta autocolante
TextoSalon d'Automne, Paris
Posiçãoverso
TipoEtiqueta autocolante
TextoThe British Council Collection
Posiçãoverso
TipoEtiqueta autocolante
TextoKasmin limited London
Posiçãoverso
TipoEtiqueta autocolante
TextoStädt Kuntgalerie Bochum
Posiçãoverso
TipoEtiqueta autocolante
TextoFine Arts Department the British Council
Posiçãoverso
TipoEtiqueta autocolante
TextoJames Bourlet & Sons ltd. 17218 Nassau Street, Mortmer Street, W1 13-11-64
Posiçãoverso
NotasOnde foi feita a moldura?
A Ilha do Tesouro / Treasure Island
CAMJAP/FCG
Curadoria: CAMJAP/FCG
7 de Fevereiro de 1997 a 4 de Maio de 1997
Todo o espaço expositivo do CAM - pisos 0, 1 e 01, e Galeria de Exposições Temporárias.
Comissários da exposição: Jorge Molder e Rui Sanches.
Metamorphosis - British Art of the Sixties: works from the collections of the British Council and the Calouste Gulbenkian Foundation
Basil & Elise Goulandris Foundation - Museum of Contemporary Art
Curadoria: Fleurette P. Karadontis
26 de Junho de 2005 a 25 de Setembro de 2005
Basil & Elise Goulandris Foundation - Museum of Contemporary Art
Comissários da exposição: Richard Riley, British Council, London, e Ana Vasconcelos e Melo, CAMJAP-FCG, Lisboa.
100 Obras de Arte Britânica Contemporânea
Fundação Calouste Gulbenkian
Curadoria: Fundação Calouste Gulbenkian

Galeria de exposições temporárias, FCG
Exposição realizada em Janeiro 1971, na Galeria de exposições temporárias, FCG.
Pop Art: 1956-1968
Azienda Speciale Palaexpo
Curadoria: Walter Guadagnini
24 de Outubro de 2007 a 27 de Janeiro de 2008
Scuderie del Quirinale, Roma
Exposição sobre a Pop Art.
Pop Art: New York, Londra, Parigi, Roma
Scuderie del Quirinale
Curadoria: Scuderie del Quirinale
Outubro de 2007 a Janeiro de 2008
Roma
A Scuderie del Quirinale em Roma, organizou uma exposição intitulada "Pop Art: New York, Londra, Parigi, Roma".
The Gulbenkian Foundation and British Art
Tate Britain
Curadoria: Tate Britain
1 e 10 de Março de 2006 a Fevereiro de 2007
Londres, Tate Britain
A exposição fez parte das comemorações dos 50 anos da Fundação Calouste Gulbenkian que começaram oficialmente a 18 de Julho de 2006.
Heimo Zobernig e a Colecção do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian
CAM/FCG
Curadoria: Jürgen Bock
11 de Fevereiro de 2009 a 31 de Agosto
Centro de Arte Moderna
Exposição realizada em parceria com a Tate St. Ives. Inclui obras da colecção da Tate de St. Ives, do Centro de Arte Moderna e do artista Heimo Zobernig. De 24 de Maio a 31 de Agosto de 2009 estiveram expostas apenas as obras do CAM escolhidas pelo artista.
Exposição Permanente do CAM
CAM/FCG
Curadoria: Jorge Molder
18 de Julho de 2008 a 4 de Janeiro de 2009
Centro de Arte Moderna
Exposição Permanente entre 18 de Julho de 2008 a 4 de Janeiro de 2009.

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.