Sob o signo da paisagem e da sustentabilidade

O arquiteto paisagista Júlio Moreira fala-nos da sua atividade profissional, desde a sua intervenção na 2.ª Exposição de Design Português (1973), passando por alguns projetos que demonstram as suas preocupações com sustentabilidade e a reconversão paisagística.

 

A propósito da disponibilização pública do seu espólio documental, doado em 2011, a Biblioteca de Arte realizou uma entrevista ao arquiteto paisagista Júlio Moreira, na qual ele aborda aspetos da sua atividade profissional iniciada na década de 1970, quando escreveu o livro O Mundo é a nossa casa (1973), no contexto da 2.ª Exposição de Design Português, dando destaque para alguns projetos, como a reconversão da lixeira da Boba em espaço urbano verde, de lazer e convívio (Amadora, 2002-2004), e o desenho do primeiro cemitério jardim, em Carnide (Lisboa, inaugurado em 1995).

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.