Avaliação da Informação na Internet

A Internet, sobretudo a World Wide Web, disponibiliza uma quantidade impressionante de informação produzida por muitas e variadas origens. Frequentemente, é difícil perceber quem produziu os conteúdos que estamos a consultar.

Por isso, torna-se necessário desenvolver ferramentas que nos ajudem a avaliar a informação que nos é fornecida. Porque todos podemos ser produtores de informação, criando páginas WEB, blogs…

A Internet disponibiliza informação em quantidade e diversidade:

Quantidade: qualquer pessoa pode ser produtora de informação, ao criar a sua página web;

Diversidade de tipologias: factos, opiniões, histórias, interpretações, estatísticas…

Diversidade de intenções: informar, persuadir, vender, entreter…

 

Estes aspetos podem provocar várias dificuldades aos utilizadores:

  • Excesso de informação;
  • Número muito elevado de informação sem valor;
  • Natureza efémera de informação disseminada através de páginas pessoais;
  • Existência de informação com dados não exatos e incorretos.

Aspetos a considerar e critérios aplicáveis

Tal como acontece com informação noutros suportes (por exemplo, livros e publicações periódicas) existem vários aspetos da informação acessível na Internet que podem ser objeto de avaliação, de acordo com diversos critérios e indicadores pré-estabelecidos.


Os objetivos da informação contida na página estão claramente definidos?

Os destinatários potenciais da informação estão claramente identificados?

Existe algum resumo do conteúdo do documento contido na página em consulta?

Será que a cobertura do assunto/tema é suficiente para satisfazer as necessidades de informação dos seus potenciais destinatários?

Existem omissões significativas na abordagem do assunto(s)/tema(s) proposto(s)?


B.1. Conteúdo

Alguns indicadores podem ser sumariamente detetados através de uma análise do endereço da página. Geralmente, uma página de caráter informativo/factual tem uma URL (Uniform Resource Locator) que termina em edu. ou gov.(domínio), por exemplo.

As páginas pessoais é comum terem no endereço um til (~), um sinal de % e o nome do autor da página. O conteúdo de uma página pessoal não tem necessariamente de ser suspeito. Mas é necessário averiguar muito bem qual a credibilidade do seu autor no âmbito do conteúdo da informação que é fornecida.

Ex. http://www.members.tripod.com/~DAdams/qkbrdinf.html

Ex. http://www.elite.net/~runner/jennifers/thankyou.htm

Perguntas que devemos fazer para averiguar e avaliar a natureza da origem da informação:

  • O título é informativo do conteúdo do documento/página?
  • A informação fornecida é do tipo factual ou de opinião?
  • A informação fornecida tem uma carga política, ideológica e/ou religiosa?

Os principais domínios nos endereços da Internet são os seguintes:

  • com = página comercial ou de uma empresa – ex. http://www.lojaviva.com.pt/
  • edu = página de uma instituição ensino (utilizado sobretudo nos endereços de instituições dos Estados Unidos) – ex. http://www.albany.edu (Universidade de Nova York, em Albany)
  • net = página da responsabilidade de uma rede
  • org = página da responsabilidade de uma organização, ou instituição com fins não lucrativos – ex. http://www.moma.org/ (Museum of Modern Art – Nova Iorque)
  • gov = página da responsabilidade de um organismo governamental – ex. http://www.ngv.vic.gov.au (National Gallery of Victoria, Melbourne, Austrália)

Outros domínios que podem também ser encontrados em endereços de páginas na Internet:

  • firm = empresa store = loja comercial
  • web = atividade relacionada com a Net
  • arts = cultura · info = informação rec = recreação /entertenimento
  • mil = página da responsabilidade de um organismo militar (é sobretudo utilizado nos Estados Unidos)

No caso dos endereços relativos a páginas em cujo URL o domínio não vem indicado claramente, por vezes pode tornar-se difícil perceber qual o tipo de conteúdo da informação. Exemplos:

Em contrapartida, é mais fácil identificar o país de origem da informação. Exemplos:

A página contém informação original ou fornece apenas ligações a outras páginas?

NOTA: Uma página pode ser importante como fonte de informação apenas pelas ligações que apresenta.

 

B.2. Exatidão e objetividade

  • Existem indicações de outras fontes onde se possa verificar o rigor e exatidão da informação?
  • Está a componente informativa claramente distinta das componentes de caráter promocional/publicitária/opinião?
  • Está bem explícito o caráter pessoal da informação veiculada pela página?
  • A informação fornecida apresenta contradições em relação a outras fontes de informação conhecidas?

 

B.3. Autoridade e credibilidade

Como qualquer pessoa pode ser autor de conteúdos na Internet, sobretudo na World Wide Web, é fundamental avaliarem-se as qualificações, a experiência profissional e/ou científica, as afiliações académicas/institucionais do(s) autor(es) da informação que consultamos.

Igualmente, deve conseguir saber-se qual o servidor/instituição que fornece alojamento à página.

Com estas perguntas pretende-se avaliar a autoridade de quem produz e o conteúdo da informação produzida.

  • Qual é a entidade promotora da página?
  • Essa informação está bem explícita?
  • Existe alguma ligação para uma outra página descrevendo os objetivos da organização/instituição?
  • Existe alguma indicação de que se está a consultar a página oficial da instituição?
  • Existe alguma indicação de que a instituição/organização é a detentora dos direitos de autor da página ?
  • No caso de ser uma página individual ou a informação fornecida estar assinada, o seu autor é uma autoridade reconhecida na matéria ? (reconhecimento académico/científico)
  • São fornecidas informações biobibliográficas do autor (carreira, instituições onde trabalhou, obras produzidas)?
  • É possível verificar esses elementos?
  • O(s) autor(es) são contactáveis (são fornecidos moradas e e-mail)?

 

Como e onde podemos encontrar resposta para estas questões:

  • Para encontrar resposta devemos explorar partes da página tais como “Quem somos” (About us); “Missão” (Philosophy, Mission); “Contactos” (Contacts); “Biografia”, “C.V.” (Biography).
  • Podemos também pesquisar em alguns motores de pesquisa, como o Google, o nome do autor e/ou o nome da instituição responsável pelos conteúdos informativos da página.
  • Podemos também ver se a página é referida/listada em diretórios ou noutras páginas com reputação científica/cultural/académica.

 

B.3.1. Pertinência da informação

Deve avaliar-se de que modo a informação contida na página vai ao encontro das necessidades do utilizador em termos de tipo e profundidade da informação; de que modo esta informação vem completar/ complementar outra contida em documentos disponíveis noutros suportes.

  • São fornecidas referências bibliográficas sobre o assunto/tema?
  • O texto é acompanhado por notas?
  • São sugeridas outras ligações que podem complementar o assunto/informação tratada?
  • A página é complemento de outras fontes de informação sobre o assunto/tema?
  • Existem versões noutros formatos?
  • No caso de se tratar de uma nova abordagem do tema/assunto são referidas as suas possíveis limitações e/ou valor de inovação?
  • São feitas referências a autores, teorias, movimentos, técnicas, consideradas como fundamentais na abordagem do assunto/tema?

 

B.4. Atualização

  • Em que data é que a página foi criada?
  • Qual a data da última atualização?
  • Com que regularidade é atualizada a página?

NOTA: a data que por vezes aparece na página corresponde a mudanças feitas no ficheiro e não a uma atualização do conteúdo da informação. Em alguns casos também está disponível uma data que corresponde ao momento (dia) em que a página é consultada. Em nenhum destes casos estamos perante alterações de conteúdo.

 

B.4.1. Qualidade das ligações

Uma página pode ser importante pelas ligações que fornece para informação contida noutras páginas. Deve avaliar-se a utilidade dessas ligações, em termos de informação e a maneira como estão ordenadas.

  • As ligações estão organizadas de forma clara e explícitas?
  • Existe alguma informação para o tipo de página a que se propõe a ligação?
  • Existe algum tipo de anotação informativa e/ou crítica para as ligações propostas?
  • Existe algum tipo de informação para o tipo de ficheiro a que é feita a ligação (video, som, texto…)?
  • As ligações propostas são estáveis? E a sua atualização é frequente e periódica?
  • O acesso às novas páginas é rápido e fácil de realizar?


C.1. Design

Sendo a Internet um meio que permite a utilização de várias formas de apresentar a informação, é necessário estabelecer critérios que permitam avaliar aspetos que são exteriores ao seu conteúdo.

Aspetos que devem ser considerados nesta avaliação:

  • A página apresenta um design gráfico atraente, inovador e criativo?
  • As cores escolhidas para o texto e para o fundo tornam a leitura fácil?
  • Existe um texto alternativo às imagens?
  • Os efeitos visuais ajudam a leitura, ou pelo contrário, distraem o utilizador do conteúdo da informação?
  • No caso de existirem gráficos, eles têm uma função informativa, ou meramente decorativa? E são de fácil leitura?

 

C.2. Acessibilidade

Este critério avalia a facilidade de utilização de uma página na Internet e o seu grau de interatividade.

  • É fácil realizar a ligação à página?
  • É uma página de acesso livre e gratuito, ou é requerida uma password?
  • A página demora muito tempo a estar disponível?
  • É uma página sujeita a frequentes mudanças de URL?
  • É requerido algum tipo de software específico para abrir a página? E a sua transferência (downloading) é fácil e rápida?

Para cada um destes critérios podemos estabelecer diversos indicadores. Quanto maior for o número de perguntas que tenham resposta positiva, mais qualidade terá a informação fornecida pela página que estamos a consultar.


Nota final

É necessário ter em atenção que, por vezes, não é fácil avaliar a natureza e o valor da informação acessível na Internet e que nem tudo o que parece é.

Mais informação disponível sobre este assunto em:

  • Grassian, Esther. “Thinking Critically about World Wide Web Resources.” Help Guides. Oct. 1, 1998. UCLA College Library. Nov. 1998.
  • Kirk, Elizabeth E. “Evaluating Information found on the Internet.” Research Help. 1996. The Sheridan Libraries, John Hopkins University. Nov. 1998.
  • Bibliography on evaluating web information http://www.lib.vt.edu/instruct/evaluate/
  • Evaluating Internet Resources: An Annotated Guide to Selected Resources. The Library of Congress. http://www.loc.gov/rr/business/beonline/selectbib.html
  • Edwards, Judith – The good, the bad and the useless: evaluating Internet resources. University College London. http://www.ariadne.ac.uk/issue16/digital