Criar um Futuro Viável (Plano de atividades)

A nossa missão é criar um futuro viável para o povo arménio em que a sua cultura e língua sejam preservadas e valorizadas.

Como instituição apartidária, acima da batalha política no contexto do mundo arménio, encontramo-nos numa posição privilegiada para influenciar, através das nossas prioridades de financiamento, a cultura, a educação e a aprendizagem, para um melhor desenvolvimento da Arménia a nível global. Poderemos realizar essa mudança transformadora, especialmente na diáspora, devido à nossa independência política e financeira e ao nosso percurso de trabalho filantrópico desenvolvido ao longo de muitas décadas.

 

(…)Torna-se necessário que o Serviço desafie as abordagens conservadoras, assuma riscos, e adote novas formas de contribuir para a sociedade arménia. Em suma, através deste Plano procuramos converter o departamento num agente transformador no contexto da comunidade arménia global para que o seu futuro seja mais viável.

Razmik Panossian

Diretor do Serviço das Comunidades Arménias

 

O processo de consulta efetuado confirmou muitas destas necessidades. No plano geral, será mantida a concessão de bolsas universitárias, o apoio aos Estudos Arménios, assim como às Escolas e à produção cultural. Contudo, iremos dar uma maior atenção a aspetos modernos e contemporâneos nos trabalhos de investigação e publicações que apoiamos. Apoiaremos iniciativas que liguem a inovação tecnológica com a cultura arménia, de modo a incrementar a presença arménia no espaço digital global.

Iremos incentivar as traduções para e a partir da língua arménia. Na Arménia, as nossas iniciativas na sociedade civil e no sector académico irão continuar, incluindo a concessão de subsídios para publicação de livros importantes. Na Turquia, contribuiremos com iniciativas de apoio ao diálogo arménio-turco, conduzidas por indivíduos de valor e organizações que se encontrem à frente do processo de democratização em curso no país. O Plano está estruturado em torno de quatro áreas prioritárias que consideramos fundamentais para o cumprimento da nossa missão de criar um futuro viável para o povo arménio.

Contudo, a questão mais urgente que requer toda a atenção é a da preservação da língua arménia ocidental como língua viva. Neste contexto, deverão ser tomadas medidas importantes a nível de programação para o reforço e sobrevivência da língua. Na verdade, o fortalecimento do arménio ocidental – a língua falada por Calouste Gulbenkian – é um dos principais pilares deste programa.

 

O último princípio orientador baseou-se na necessidade de alinhar a ação do Serviço com as melhores práticas filantrópicas, com objetivos e procedimentos bem definidos, com enfoque no impacto, realizando uma avaliação sistemática, e, paralelamente, como procedimento padrão, o estabelecimento de parcerias, quer com outras organizações arménias e não arménias, quer com outras unidades orgânicas da Fundação.

Martin Essayan

Administrador Da Fundação Calouste Gulbenkian