24 Abril 2020

Nota do Diretor do Serviço das Comunidades Arménias

Mantendo o rumo, a partir de casa

© Ricardo Oliveira Alves

A pandemia Covid-19 afetou-nos a todos e Portugal também se encontra em confinamento mas, felizmente neste momento, a situação é mais favorável do que em outros países.

A Fundação, o museu e os jardins encontram-se encerrados desde meados de março, os concertos e conferências foram cancelados e todas as viagens foram adiadas por tempo indeterminado. No entanto, isto não significa que tenhamos abrandado o nosso ritmo de trabalho, pelo contrário, estamos empenhados em adaptar os nossos programas, apresentar novas iniciativas no contexto da pandemia, continuar a gerir os projetos em desenvolvimento, a analisar novos projetos e a avaliar as bolsas de estudo. 

No atual contexto de confinamento, o Serviço das Comunidades Arménias lançou duas iniciativas: o “Prizes for Teaching Armenian Online” e “BE HEARD”.

A primeira, exclusivamente para professores na Diáspora, reconhece os seus esforços de, subitamente, se verem obrigados a transformar os seus planos de aulas e salas de aula em ferramentas e espaços virtuais. A segunda iniciativa destina-se a todas as pessoas criativas na Diáspora e na Arménia que queiram abordar questões globais, usando a língua arménia.

 Para além destas duas novas iniciativas, destaco também o programa “Creative Culture Programme in Lebanon,”, que foi lançado no início deste ano, direcionado a jovens no Líbano. Tal como a nova estratégia específica para as escolas arménias no Líbano, onde temos vindo a trabalhar com várias instituições educativas para financiar algumas das suas atividades pedagógicas.

Ainda no contexto da pandemia, doámos 50 000 dólares (mais de 54 mil euros) à Arménia, para ajudar no combate à Covid-19. Trabalhando em estreita colaboração com o Alto-comissário para os Assuntos da Diáspora Arménia, e com outras importantes organizações da diáspora, foram adquiridos equipamentos essenciais de proteção individual e outros materiais médicos para os profissionais de saúde na Arménia.

Continuámos a atribuir bolsas universitárias, embora o número de candidaturas seja inferior este mês, o Conselho de Administração aprovou a continuação por mais dois anos do Inquérito à Diáspora Arménia, e a Bolsa Arménia na Universidade de Bogazici está a ser preparada para o próximo ano letivo.

No âmbito das publicações, prosseguimos com a tradução para arménio de importantes textos de ciências sociais, sendo que em março foram publicados livros de Foucault e Agamben, e outros já se encontram na fase de impressão. A tradução de livros para crianças e jovens adultos da Colecção Zartiss na Diáspora e a publicação da literatura em Arménio Ocidental na Arménia, com alguns dos livros já publicados como por exemplo, Vorpuni, Poladian, Sarafian e H. Oshagan,  também continuam.

Com o isolamento temos recebido alguns pedidos de informação sobre materiais online em Arménio Ocidental que possam ser utilizados durante este período. Apresentamos algumas sugestões: os vídeos e livros de exercícios para crianças da Parev Arev, os websites do Pokrig e e-ptit, os livros digitais e audio books disponíveis nas plataformas digilib.am e vlume, o site aghvorpaner e o mais recente livro de banda desenhada da Tumo: “Mashtots: A not-so-true Story”.

Também encorajamos a escrita de artigos em Arménio Ocidental na Wikipedia, que já possui o seu próprio código de língua. Por fim, temos o website para dicionários e corretores ortográficos arménios Nayiri.com. Estes são apenas alguns dos projetos relacionados com o Arménio Ocidental que a Fundação tem apoiado. Nos próximos meses teremos muitos mais.

Devido à pandemia tivemos de cancelar alguns eventos importantes em Londres, Erevan, Paris e Atenas. Algumas atividades, tal como o workshop de escrita criativa para jovens, serão online. O Zarmanazan 2020, que também não se poderia realizar no seu formato físico, será transformado no verão num novo programa online para os participantes já inscritos, tendo por base a abordagem participativa e criativa do Zarmanazan. Este novo formato foi carinhosamente designado de ““Zartsants 2.0.”

A terminar, apesar da crise da Covid-19 e dos imprescindíveis ajuste da agenda, o Serviço das Comunidades Arménias continua o seu trabalho financiando projetos, concretizando  iniciativas e apoiando os seus parceiros a partir do isolamento e, por vezes, do conforto das nossas casas!

Razmik Panossian

Diretor do Serviço das Comunidades Arménias

Pode ler este artigo em Arménio aqui