13 Outubro 2014

“Os Arménios em 2115” Seminário Estratégico

Lídres e intelectuais reuniram-se na Fundação Calouste Gulbenkian para debaterem estratégias futuras para a Arménia

“Os Arménios em 2115” Seminário Estratégico

O Serviço das Comunidades Arménias da Fundação Calouste Gulbenkian foi anfitrião de um distinto seminário de dois dias — 13 e 14 de outubro de 2014 — para líderes arménios. Foi um fórum de alto nível, em ambiente restrito, de discussão de estratégias futuras.

Os participantes refletiram sobre a tendência dos padrões de desenvolvimento do mundo arménio e mediadores especialistas abordaram questões-chave relacionadas com os arménios, incluindo os desenvolvimentos na Turquia, Rússia, Azerbaijão, Geórgia, Europa, Médio Oriente, Arménia e a sua diáspora.

Debateram-se questões ligadas à relação da diáspora com o governo arménio e a sociedade civil do seu país, ao envolvimento com a Turquia, Azerbaijão e Geórgia, à sustentabilidade das comunidades da diáspora, à formação da identidade. Estas questões foram abordadas sob diferentes perspetivas que incluíram a influência russa na Arménia, o desenvolvimento democrático da Turquia, a ameaça de guerra com o Azerbaijão, o impacto dos conflitos do Médio Oriente nos arménios e as dinâmicas no seio da União Europeia.

Este seminário contou com a participação de 40 representantes da comunidade arménia global — Europa, América do Sul e América do Norte, Turquia, Médio Oriente, Rússia e, sem dúvida da Arménia — e, também das principais fações intelectuais e comunitárias da diáspora. Também foram convidados alguns especialistas não-arménios como moderadores dos debates.

Todos os participantes concordaram com o facto do encontro ter sido crucial devendo continuar a ser organizado de forma regular e foi sugerido que a iniciativa se tornasse numa série de encontros, seguindo o exemplo do fórum Davos” [Fórum Económico Mundial], para debater estratégias, coordenar atividades e partilhar informações.

“Foi um verdadeiro privilégio e uma experiência única acolher um grupo tão seleto e diversificado de pessoas para debater o futuro do povo arménio — pátria e diáspora”, concluiu Martin Essayan, administrador da Fundação Calouste Gulbenkian e anfitrião do seminário. “Muitos dos participantes ficaram entusiasmados com este envolvimento e elogiaram a Fundação pela sua capacidade para convocar este seminário. Esta iniciativa foi decididamente reveladora da nova orientação do Serviço das Comunidades Arménias como ator e promotor, indo além do seu expectavél papel de financiador, no âmbito do mundo arménio.

O relatório contendo os resultados do seminário serão publicados posteriormente.