Madalena de Azeredo Perdigão. O que faz falta.

Slider de Eventos

Data

28 abr – 20 jul 2023

Local

Átrio Biblioteca de Arte Gulbenkian

Preço

Bilhete
Entrada livre
Sujeita à lotação da sala
Esta exposição celebra o centenário do nascimento desta figura incontornável na história da Fundação Gulbenkian e na vida artística portuguesa na segunda metade do século XX.

Madalena de Azeredo Perdigão (1923-1989), como diretora do Serviço de Música e do ACARTE, foi uma figura determinante na configuração da intervenção da Fundação Calouste Gulbenkian no domínio das Artes do Espetáculo, desde o estabelecimento da instituição, com consequências até aos nossos dias.

No Serviço de Música contribuiu para o estabelecimento de políticas estruturantes que trouxeram novos paradigmas de formação vocacional avançada, de internacionalização, de contemporaneidade e de valorização patrimonial.

No ACARTE promoveu uma programação inovadora no sentido da releitura crítica do cânone artístico, da interdisciplinaridade, da multiculturalidade e das estratégias de mediação cultural.

A sua ação, por outro lado, tanto pelo impacto direto da Fundação Gulbenkian no tecido artístico português, como pelo seu papel na reestruturação do Ensino Artístico no âmbito do Ministério da Educação e na presidência da Associação Portuguesa de Educação Musical, converteu-a numa referência incontornável para a compreensão da vida artística portuguesa na segunda metade do século XX e para a reflexão contemporânea sobre o lugar das Artes nos desafios contemporâneos da construção da sociedade democrática e do desenvolvimento sustentável.

A exposição Madalena de Azeredo Perdigão. O que faz falta procura documentar todos estes aspetos do percurso e do legado de uma figura de exceção no panorama cultural português.

A Fundação Calouste Gulbenkian reserva-se o direito de recolher e conservar registos de imagens, sons e voz para a difusão e preservação da memória da sua atividade cultural e artística. Caso pretenda obter algum esclarecimento, poderá contactar-nos através do formulário Pedido de Informação.

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.